Banner
   
Banner
Banner

Adquira o seu!

Banner

Federação Internacional

Banner


Dia Mundial do Yoga

Patañjali Jayanti
(Nascimento de Patañjali)

15 de Outubro de 2009
03 de Novembro de 2010
24 de outubro de 2011
11 de Novembro de 2012
01 de Novembro de 2013

NO BRASIL

Secretários Honorários da FIY

Maria Escoteguy (RS)

Mestre Dommit (SP)

Erick Schultz (SP)

Maria Helena Schimidt (ES)

Marlene Franco (BA)

Regina Padma Rintchen (PE)

Diana Alves (PB)

Cláudio Azevedo (CE)

Silvânia O. Nascimento (RO)


Membros

CONYB
ACEPY
FECEPY

Instituto Neusa Veríssimo
Instituto de Cultura Yoga Shimada
Instituto de Ciência, Cultura e Filosofia Hindu (ICCFH)
Associação de Yoga de Rondônia
Patañjali Yoga Centre of Brazil
Sarva Swamis Brotherh.Brazil
Instituto Sarva Dharma de Brasilia
Suddha Dharma Mandalam -SP
Sarva Mangalamn Ashram
Espaço Dharma de Yoga Integral
Associação Brasileira de Ayurveda
Instituto Indiano Vivekananda
Mandala-CECRAN
Centro Alquimia del Alma
Centro de Yoga Durga Shakti
Centro de Yoga de Marlene Franco (Bahia-Salvador)


NO MUNDO


World-wide Yoga Community

Banner


Visitas desde Maio de 2009

mod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_countermod_vvisit_counter
mod_vvisit_counterHoje408
mod_vvisit_counterOntem1541
mod_vvisit_counterEssa semana9408
mod_vvisit_counterNo mês408
mod_vvisit_counterTotal2513499
Nós temos 26 visitantes online
Prof. Caio Miranda PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 8
PiorMelhor 
Biografias
Escrito por ICCFH   

Yoga no Brasil

Prof. Caio Miranda (1.909-1.969)

(Caio Miranda)

 

 

Professor Caio Miranda

O General Caio Miranda era oficial e, no final da década de 1.950, era membro da Sociedade Teosófica no Brasil. Militar de personalidade forte e controvertida, também era, ao mesmo tempo, muito carismático e suave. Nessa época, como literatura teosófica, lia muito sobre filosofia, ocultismo e Yoga. Fazia parte da Escola Esotérica (Escola Interna da Sociedade Teosófica) e tinha um Mestre Espiritual, o qual denominava Ad.B. Como autodidata, começou a se interessar pelo Raja Yoga após ler um livro de Ramacharaca"As 14 Lições da Filosofia Yogi". denominado

Aprendeu a fazer exercícios respiratórios e, depois que entrou para a Reserva, começou a dar aulas de Raja Yoga em sua própria casa. Em 1.960, Caio Miranda escreveu o primeiro livro em língua portuguesa sobre Yoga, "A Libertação Pelo Yoga",Yoga Caio Miranda, introduzindo a prática de Laya Yoga e Hatha Yoga além do Raja Yoga. pela Editora Freitas Bastos e, devida à intensa procura, teve que abrir o Instituto de

Ele fazia diferença entre "Yôga" e "Yóga", afirmando que o primeiro era a filosofia e o segundo era a prática física (Hatha Yoga), como documentado no livro "Hatha Yóga: a Ciência da Saúde Perfeita", pág. 26 da edição publicada em 1.962 pela Editora Freitas Bastos. Ele definiu Yôga como sendo "todo método capaz de produzir a união real do homem com Deus, ou ainda a doutrina toda em si" e Yóga como "qualquer das práticas do sistema yógui". Embora imprecisas, estas foram as primeiras definições registradas que diferenciam Yôga (pronunciado com "ô" fechado) e Yoga (pronunciado com "ó" aberto).

Criou um método próprio, à base de exercícios respiratórios, asanas de resistência seguidos de um relaxamento induzido feito em uma prancha inclinada. Era rigoroso na execução correta das posturas. A sua técnica de Laya Yoga induzia a uma sedação da emotividade e cessação da atividade mental, uma valiosa prática para superar transtornos excitatórios e depressivos da mente. 

Neusa Lima Veríssimo e Professor Caio Miranda

Formou os primeiros instrutores de Yoga no Brasil, que abriram sucursais (franquias) do Instituto de Yoga Caio Miranda em vários estados do país e até fora dele (Córdoba, na Argentina, e Porto, em Portugal). Entre os professores brasileiros, podemos citar Maria José Marinho (Belo Horizonte), Isolda Meyer Pslung (São Paulo) e Neusa Veríssimo (Fortaleza). Introduziu o Yoga como profissão, ao contrário da direção mística e monástica de Śrī Sevananda Svami.

Os critério de formação de instrutores era bastante rígido, e o requisito básico era ser aluno do instituto por, pelo menos, dois anos. Fumante inveterado desde os 12 anos de idade, varava as noites escrevendo e fumando. Morreu de câncer de pulmão, em 1.969 aos 60 anos.

A partir de sua morte, sua filha Leda Miranda não quis administrar as sucursais e fechou o negócio. Todas as filiais, ou fecharam ou mudaram seus nomes, ocorrendo um grande cisma.

 
Blog do Instituto de Ciência, Cultura e Filosofia Hindu

Copyright © 2009 Instituto de Ciência, Cultura e Filosofia Hindu. Todos os direitos reservados.
Órion Digital - webmaster@orion.med.br